domingo, 20 de dezembro de 2015

Prefeitura inaugura primeiro Fab Lab e é na Cidade Tiradentes

Equipamento em Cidade Tiradentes oferece a estudantes acesso a máquinas de produção digital, como impressoras 3D para desenvolver protótipos de novos produtos. Até março, serão 12 em operação



A Prefeitura de São Paulo inaugurou nesta quinta-feira (17/12) a primeira unidade da Rede Pública de Laboratórios de Fabricação Digital (Fab Lab Livre SP), que vai funcionar no Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes. O projeto tem o objetivo de oferecer aos estudantes da rede pública de ensino acesso a máquinas de produção digital, como impressoras 3D, para desenvolver protótipos de novos produtos, como próteses para área de saúde. Até março de 2016, serão 12 laboratórios desses em operação na Capital.

“Estamos instalando em São Paulo a maior rede de laboratórios públicos de produção no país. Vamos inaugurar mais três até o final do ano e mais oito até março de 2016. Queremos mudar a cabeça dos jovens para que possam inovar e perceber a produção de outra maneira. Aqui será possível fazer desde um game até o protótipo de uma cadeira ou abajur. Nenhum município brasileiro tem Fab Labs como os que estamos inaugurando”, afirmou o prefeito Fernando Haddad.

Os Fab Labs são espaços de produção colaborativa e aprendizado interdisciplinar, que tem como principal público-alvo os estudantes. No local, os jovens terão acesso a impressoras 3D, cortadora laser, software de modelagem e animação para programação em computadores, fresadoras e equipamentos de eletrônica, entre outros recursos utilizados na cultura maker (ou “faça você mesmo”).

Nesses locais, os estudantes vão ter cursos de técnicas de fabricação digital e aprender processos de produção para que possam, de forma colaborativa, criar protótipos de baixo custo para manufatura em larga escala. “As tecnologias dos Fab Labs vão permitir, por exemplo, desenvolver próteses para melhorar a qualidade de vida dos que têm mobilidade reduzida”, disse o secretário Municipal de Serviços, Simão Pedro. A iniciativa vai atender também startups que queiram utilizar os laboratórios para se desenvolver no mercado e ajudar a impulsionar o empreendedorismo.

“A ideia de um laboratório que oferece entretenimento com cultura e conhecimento é muito poderosa”, declarou o especialista em inclusão digital Sérgio Amadeu da Silveira, professor adjunto da Universidade Federal do ABC (UFABC) que foi presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação do governo federal e ajudou a implementar o primeiro telecentro da Capital na Cidade Tiradentes, em 2001.

O Fab Lab Livre SP será gerenciado pela ITS Brasil, entidade selecionada pela Prefeitura para promover o desenvolvimento e o aproveitamento de tecnologias voltadas para o interesse social. A unidade funcionará conectada também com o Fab Lab da Universidade de São Paulo (USP). “Creio que esse projeto é um marco na história da cidade de São Paulo, porque fará com que a tecnologia saia da universidade e chegue à comunidade”, disse Paulo Fonseca, diretor do Fab Lab da USP.

Além da unidade de Cidade Tiradentes, outros três estão em fase de testes na cidade. Eles estão localizados na Galeria Olido, no Centro Cultural da Penha e na Casa da Memória de Itaquera, e deverão ser inaugurados até o final de dezembro. Os outros oito serão abertos até março de 2016. Os 12 laboratórios deverão atender 1.500 estudantes por mês e alcançar um público de 30 mil pessoas em dois anos.

Imagens:
Crédito: Fábio Arantes/Secom

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

São Paulo Tech Week atrai mais de 15 mil pessoas




São Paulo Tech Week atrai mais de 15 mil pessoas


Novas tecnologias, inovação e empreendedorismo foram tema de 120 atividades realizadas em vários pontos da cidade

A primeira edição da São Paulo Tech Week (SPTW) atraiu mais de 15 mil pessoas que participaram das 120 atividades relacionadas a novas tecnologias, inovação e empreendedorismo. O evento, realizado entre 3 e 9 de novembro, ofereceu oficinas, cursos, debates, competições, hackatonas, palestras e exposições em diversas regiões da cidade.

O objetivo da semana foi estimular a geração de novos negócios e talentos para o setor de tecnologia, além de posicionar a cidade como hub global de inovação. “O sucesso da SPTW demonstra a importância da realização de parcerias entre os setores público e privado. Os resultados superaram nossas expectativas e comprovam o potencial de inovação da cidade” afirmou o presidente da SP Negócios, Rodrigo Pirajá Wienskoski.

A cidade é a melhor opção para quem deseja criar uma startup de tecnologia na América Latina, de acordo com o Global Startup Ecosystem Ranking 2015. Informações da Associação Brasileira de Startups mostram que mais de mil startups estão concentradas no Estado de São Paulo, sendo a maior parte na capital paulista, que também tem 30% da mão de obra de tecnologia do país.

Iniciativa das agências de promoção de investimento da Prefeitura, SP Negócios, e do Governo do Estado, Investe SP, a SPTW teve a participação de grandes empresas, como Ambev, Totvs, IBM, Google, Intel, Evernote e PUC-SP e FIAP. O prefeito Fernando Haddad recebe nesta quarta-feira (17) executivos das empresas parceiras para avaliação dos resultados da semana.

Um dos grandes destaques da programação foi a Conferência Anual de Startups (CASE) 2015, que reuniu quatro mil participantes nos dias 3 e 4 de novembro, na sede da Fecomércio, região central. Os encontros tiveram a presença de palestrantes internacionais de grande expressão, como Jason Lucash, CEO da OrigAudio, que venceu o programa de TV Americano Shark Tank, além de Morten Primdahl, Fundador do Zendesk; Andrea Barricas, cofundadora da inDinero e partner na 500 Startups, e de Bjoern Herrmann, CEO da Compass.

O público também pôde conhecer novidades tecnológicas na International Consumer Electronics Expo Brazil (ICEEB), feira de negócios que reuniu entre 3 e 5 de novembro, no Palácio de Convenções do Anhembi, na zona norte, empresas internacionais do setor de eletrônicos de consumo. Foram apresentados produtos inovadores como drones, robôs para limpeza, relógios inteligentes, além de impressoras 3D compactas e espelhos retrovisores Bluetooth com GPS.

Tecnologia pela Cidade


Uma das iniciativas da semana de tecnologia foi trazer discussões e experiências tecnológicas para o espaço público, envolvendo a população da cidade. A atividade X-Drones, realizada no centro de São Paulo, possibilitou que participantes tivessem, pela primeira vez, a oportunidade de dirigir um drone. O evento instalou uma obra de arte que mistura a milenar tecnologia de construção com bambus, sem uso de parafusos e cola, com drones open source, desenvolvidos pelo Mirante Lab.

Já o Paulista Hack, realizado no vão no Museu de Arte de São Paulo (MASP), promoveu palestras, pitches e networking entre a comunidade paulistana de inovação.

Maratonas de inovação


Durante a SPTW, foram realizadas diversas competições envolvendo desenvolvedores, empreendedores e designers. Em Paraisópolis, zona sul, entre 6 e 8 de novembro, foi realizado o Startup Weekend to Improve Lives, em que jovens tiveram 54 horas para identificar desafios da comunidade e propor soluções para os problemas mapeados. Dentre os vencedores, destacou-se o aplicativo Primavera, criado para promover a redução da violência doméstica na região.

A AMBEV promoveu, pela primeira vez, uma hackatona com aproximadamente 200 participantes, dentre desenvolvedores e empreendedores. O desafio era propor inovações para melhorar a experiência dos consumidores.

A Sabre Corporation também organizou sua primeira hackatona na América Latina, voltada para o desenvolvimento de soluções relacionadas ao setor de viagens, com novas oportunidades para a indústria do turismo.

Mulheres na Tecnologia


Um dos principais temas abordados na SPTW foi a inclusão de mulheres no setor de tecnologia. Em parceria com o Technovation, o Google e o CUBO, foi realizada a exibição do documentário Code Girl, que conta histórias de garotas que usam tecnologia para desenvolver suas comunidades. Ainda no CUBO, foram realizadas palestras sobre o tema com executivas do setor, além da oferta de mentorias e oficinas para empreendedoras digitais.

Na FIAP, foi realizado o Women UP Games, debate sobre a importância da mulher no mundo do desenvolvimento de games. Já a Maratona RodAda Hacker reuniu mais cem de meninas em torno da tecnologia. De Parelheiros a Pinheiros, da Vila Madalena ao Capão Redondo, meninas e mulheres participaram de seis oficinas voltadas ao ensino de programação.

Para crianças

As crianças não ficaram de fora da semana de tecnologia. O Expo LUG, na Impacta, contou com exposição de projetos realizados pela comunidade da LEGO no Brasil, além de campeonato de sumô de robôs autônomos, corrida de carros com controle remoto feitos com LEGO e partidas de futebol entre robôs. 

Com o evento Startup in Shoool, alunos da Escola Técnica Estadual (ETEC) Parque da Juventude e do Centro Educacional Unificado Jaçanã passaram por oficinas de desenvolvimento de aplicativos e geração de ideias de negócios. Já o Code CLUB, realizado no Garagem FabLAb, trouxe à tona a importância da realização de oficinas de programação para crianças através da criação de clubes.

Leia mais:


São Paulo Tech Week promove 60 atividades de inovação e empreendedorismo na cidade



quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Espaço Sociedade & Açao debate o cancelamento do Monotrilho em Cidade Tiradentes

O S&A Sociedade e Ação promoveu uma reunião para discutir os rumos do transporte com enfase no Monotrilho.



No caso da Linha 15-Prata, o Metrô diz ter condições de honrar compromissos públicos de entregar dez estações até o ano que vem, até o distrito Iguatemi. De lá em diante, diz o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, a obra só continua se houver desapropriações na avenida Ragueb Chohfi e nas estradas Iguatemi e dos Metalúrgicos. Essas vias precisam ser alargadas para receber canteiros centrais, onde o viaduto do monotrilho é erguido. A promessa é a linha chegar a Cidade Tiradentes em 2016.

O prefeito Fernando Haddad (PT) disse, na quinta-feira (14), em visita à região, que buscaria verbas do governo federal para duplicar a Estrada do Iguatemi.
— O metrô está longe daqui ainda, mas o dia em que ele chegar a via vai precisar de um canteiro central.
Obras do monotrilho que ligará a estação Vila Prudente à Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo
Nilton Fukuda/30.10.2012/Estadão Conteúdo


Olhando bem esta foto acima da para imaginar a avenida Ragueb Chohffi, vai precisar ampliar?




















Ivo fala sobre o transporte na Cidade Tiradentes
Miguel Reis o Subprefeito  e Manoel Xavier representando o Metro


























Transporte de massa
O transporte sobre pneus da cidade de São Paulo possui uma média de nove milhões de embarques por dia. É um desafio diário transportar as pessoas com qualidade numa metrópole como São Paulo.
Por ser um transporte de massa, atuando com capacidade de passageiros semelhante do metrô e do trem, a Prefeitura investe e prioriza os deslocamentos das pessoas que utilizam o ônibus. Desde o início da gestão do Prefeito Fernando Haddad, já foram criados 390 km de faixas exclusivas de ônibus. Com esse investimento, as pessoas diminuíram o tempo médio de deslocamento em 40 minutos. Um investimento importante, principalmente para quem vive na periferia.
Além das faixas exclusivas, a Prefeitura está construindo mais de 60 km de corredores de ônibus que irão aumentar ainda mais a qualidade das viagens. Já está circulando nas ruas cerca de 400 veículos com wi-fi em fase de teste, além de ônibus com ar-condicionado, com duas catracas (para agilizar o embarque) e até mesmo com entradas de USB para carregar equipamentos eletrônicos. São investimentos para levar conforto para os passageiros e até mesmo fomentar a migração do uso do carro para o transporte público.
A gestão Haddad realizou diversas ações na melhoria do transporte. Criamos as linhas noturnas, são 151 linhas que circulam durante toda a madrugada. Nos primeiros seis meses de operação já foram transportados quase 5 milhões de pessoas. E a Prefeitura promoveu o acesso ao transporte gratuito por meio do passe livre para quase 500 mil estudantes da rede pública e mais de 700 mil idosos. Além da criação do Bilhete Único mensal e semanal.
E para aprimorar ainda mais o transporte de ônibus da capital paulista, a Prefeitura lançou esta semana, os editais do novo modelo de concessão do transporte público feito por ônibus para os próximos 20 anos. Um investimento de R$ 7 bilhões por ano para remodelar o sistema visando a evolução. Foram mais de dois anos de estudo e discussões com a sociedade por meio de audiências públicas e de reuniões no Conselho Municipal de Trânsito e Transporte. Além de uma verificação independente realizada pela consultoria Ernest & Young que definiu aspectos importantes para o edital, como a diminuição da taxa de retorno das empresas em relação ao investimento dos atuais 15% para 9,97%.
E a prioridade foi sempre pensada na qualidade e no conforto das pessoas. Tanto que o valor a ser repassado para as empresas não será exclusivamente pelo número de passageiros transportados, como é atualmente. No novo modelo o atual quesito responderá por 50% do pagamento. O cumprimento das partidas programadas ficará com 25% e a disponibilização pontual da frota terá 10%. Se a empresa desrespeitar esses dois últimos itens será penalizada em seus recebimentos. Os outros 15% são custos fixos em veículos e equipamentos das concessionárias.
O objetivo é aumentar em 17% o número de viagens e em 14% a oferta de assentos nos ônibus. Os vencedores do edital terão que construir um Centro de Controle Operacional, operando em conjunto com a administração municipal. Toda a movimentação dos coletivos será monitorada em tempo real, garantindo rapidez na solução de conflitos. E será feita uma nova organização das linhas com três grupos: estrutural, local de articulação regional e local de distribuição. Com ônibus menores passando em vias locais e de bairro e ônibus com grande capacidade de transporte passando por corredores e grandes avenidas e fazendo a ligação com terminais.
Toda essa movimentação, discussões e investimentos são voltados para priorizar a maioria. Pessoas que passam horas para chegar aos seus destinos e elas merecem serem transportadas com qualidade e dignidade. Uma cidade democrática, mais moderna e mais humana deve privilegiar o transporte de massa e é isso que a Prefeitura de São Paulo está fazendo. Uma política pública que irá nortear o futuro de milhões de pessoas pelos próximos anos.
*Chico Macena, 53 anos, é administrador e Secretário do Governo do Município de São Paulo

Casa Ser Dorinha completa 12 Anos



em construçao

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Pré-conferências da região Leste reuniram mais de 1200 pessoas e elegem 130 delegados


 Mais de 500 propostas serão levadas à 18ª Conferência Municipal de Saúde 







Por Cecília Figueiredo


Com as três pré-conferências de Saúde realizadas no último sábado (30/5) em Cidade Tiradentes, Ermelino Matarazzo e Itaquera, a Coordenadoria Regional de Saúde Leste (CRS Leste) encerrou a fase preparatória à 18ª Conferência Municipal de Saúde, que ocorrerá nos dias 22 a 24 de junho, no Palácio das Convenções do Anhembi. As sete plenárias reuniram, entre 16 e 30 de maio, 1284 participantes, aprovaram cerca de 500 propostas que serão remetidas à etapa municipal e elegeram 130 delegados titulares – 65 (usuário), 32 (trabalhador), 33 (Gestor).




foto de Ademir Ferreira Gomes


Durante os encontros o consenso caracterizou os grupos de trabalho na Cidade Tiradentes. Em Ermelino Matarazzo o nível de organização antes e durante o encontro foi destaque na plenária. Já em Itaquera, a intensa participação dos trabalhadores marcou a pré-conferência.





Na avaliação da supervisora de Cidade Tiradentes Marta Pozzani, a comunidade, a Subprefeitura e a CRS Leste foram decisivas no apoio à realização da pré-conferência. “A quantidade de participantes no encontro foi tão especial quanto o cuidado na organização de toda a plenária, que contou com o apoio da comunidade, do subprefeito Miguel Reis, e sua equipe, da equipe da CRS Leste, que tem à frente a Claudia Afonso, e dos trabalhadores. Foi uma festa da democracia, que conseguiu atrair novos representantes dos segmentos usuário e trabalhador”, definiu Marta.



‘Mobilização intensa’


Tânia Maria Bonfim, supervisora técnica de Saúde Ermelino Matarazzo, comemorou a preparação que os segmentos realizaram para qualificar a reflexão e apresentação de propostas. “Foi um processo rico pela participação dos três segmentos, que incluiu uma preparação prévia, com leitura do documento norteador e elaboração de propostas levadas à pré-conferência. Houve uma mobilização intensa das pessoas e, no final, ficamos com a sensação de vitória da participação, vitória do SUS”, complementou a supervisora.


Para Raquel D´Elia, supervisora de saúde Itaquera, a pré-conferência demonstrou preocupações com dimensão mais ampliada. “Foi um encontro bastante representativo, com propostas pensadas para o SUS além do território, seja no financiamento, na comunicação, na implementação de novas tecnologias, na ampliação do controle social, enfim em mecanismos que fortaleçam a política pública de forma coletiva”, disse a gestora de Itaquera.



Claudia Afonso Castro, que esteve nos três encontros, alertou sobre a tentativa de desmonte do SUS que está posta e importância da participação popular para coibir esses ataques.





Vereador Paulo Fiorilo presente na 18ª pré conferência da saúde no CEU Água Azul em Cidade Tiradentes
Pré-conferências em dados

Cidade Tiradentes - 211 inscritos – 43 (Gestor), 60 (Trabalhador) e 108 (Usuário) e elegeu 13 delegados(as) titulares – 6 (Usuário), 3 (Trabalhador) e 4 (Gestor) – e três suplentes.

Segmento Usuário - Marli Medeiros Marques, Geralda Marfisa, Oldimar S. Alves dos Santos, Marcia Gorette da Silva, Maria de Souza Jesus Silva, Cecília Gonçalves da Silva Santos e Maria da Conceição Dias Aguiar (suplente).

Segmento Trabalhador - Catarina P. Jesus Santos, Carlos F. Felippe, Alex Fabiano Araujo Dantas, Rubens Rodrigues da Silva (suplente).

Segmento Gestor - Ceci Praxedes, Marta Pozzani, Patrícia Cruz, Rosilei Conceição, Jorge do CTA


Ermelino Matarazzo –  180 inscritos, sendo 75 do segmento trabalhador, 64 do segmento usuário, 33 do segmento gestor e 8 convidados. Elegeu 10 delegados titulares – 5 (Usuário), 3 (Trabalhador) e 3 (Gestor) – e três suplentes.

Segmento Usuário - Tatiane Aparecida Barbosa da Silva, Clélia Herrera Garcia, Elcio Monteiro, Osvaldina Batista de Matos, Maria Aglais de Oliveira, Flávia das Dores Bonfim (suplente).

Segmento Trabalhador - Wally Augusto de Almeida, Wellington Pires de Albuquerque e Sueli Aparecida Guarnieri (suplente).

Segmento Gestor - Tânia Maria Bonfim da Cunha, Gislaine Romão e Lislen Teobaldo Souza (suplente).


Itaim Paulista – 150 inscritos e elegeu 20 delegados(as) titulares – 5 (Gestor), 5 (Trabalhador) e 10 (Usuário) – e três suplentes.

Segmento Gestor: Ana Cristina Kantzos, Sônia Aparecida Almeida Carlos, Salete Pereira dos Santos Vasconcellos, Maria Veridiana Maurelli, Rosângela de Jesus Leitão, Juliana Mendes de Melo Vidal (suplente).

Segmento Trabalhador: Wilson dos Santos, Maregildo Pereira Leal, Vanda Correia da Silva, Antonio Zeferino de Lisboa Jr., Ronildo Ferreira da Silva, Luci Andrade dos Santos Oliveira (suplente).

Segmento Usuário: Paulo Carvalho da Silva, Maria Sônia de Alcântara Souza, Lígia Maria Santos da Mata, Expedito Pedro do Nascimento, Américo Nunes Neto, Rosimeire Cícera de Oliveira, Margareth A. F. Santos, Joselito Pereira Prates, Auristela Alexandrino Dias, Rosimeire Veloso da Silva e Maria Neta Almeida (suplente).

Itaquera – A plenária preparatória reuniu 215 participantes: 71 usuários, 87 trabalhadores, 45 gestores e 12 convidados. Foram eleitos 28 delegados titulares – 14 do segmento Usuário, 7 do segmento Gestor e 7 do segmento Trabalhador - mais três suplentes.

Segmento Usuário – Dialeda Francisca de Souza Fresneda, Waldomira de Paula, Andreia da Silva Nascimento, Alex Aparecido Xavier, Manoel Valeriano da Silva Filho, Itamar Santos Sessenta, Maria do Socorro Alves, Regina Maria da Costa, Gisele da Silva Alencar, Jadilson Bernardo de Souza, Ana Maria Felippe, Maria Áurea de Negreiros, Lidiomar Barbosa da Silva, Teresinha Bezerra de Lima e Josiane Câmara da Silva Xavier (suplente).

Segmento Trabalhador: Roseli Aparecida Ilídio, Luiz Fernando Elaur Zanes, Érika Xavier da Silva Rezende, Rita de Cássia da Silva, Marco Antonio Felippe, Neusa Spinelli Ruas, Cícero Antonio da Silva e Rosemeire Ordalia Claudini Neves (suplente).
Segmento Gestor: Marcia Maria de Cerqueira Lima, Raquel D’Elia da Silva, Kátia Virgínia Disessa, Noracelly Cristina Silva Braga, Patrícia Mendes de Almeida Franco Santos, Marilande Marcolin, Maria de Fátima da Silva Lopes e Silvia Nápole Fichino (suplente).

Guaianases – 150 participantes – 46 (Gestor), 43 (Trabalhador), 54 (Usuário) e 07 convidados, foram eleitos 17 delegados(as).

Segmento Usuário: Demesina Felix Ferreira, Mercia Mendes da Costa Cardoso, Manuel Bonfim Barros, Gerson Dias de Oliveira, Marinalva Aparecida da Silva, Eudes Wesley Dias Melo, Silvio Custódio, Dejenoel Rodrigues da Silva e Patricia Perez e Silva de Freitas (suplente).

Segmento Trabalhador: Márcia Melo de Souza, Abenon Menegassi, Denise de Almeida Costa e Elizabeth Devides Marcondes.

Segmento Gestor: Sueli Mitie Saito, Maria Lúcia Vieira de Almeida, Elizabeth Andrade Khoury e Renata dos Humildes Oliveira.

São Mateus – 215 participantes – 44 (Gestor), 67 (Trabalhador) e 104 (Usuário) e elegeu 27 delegados(as).

Segmento Usuário: Rivaldo Aparecido Pereira de Lima, Sônia da Silva Souza, David Cardoso dos Santos, Rosalina de O. Santana, Sufia Gonçalves Duarte, Neusa Ribeiro Correia, Maria do Carmo Alves Costa, Surana Camilo Teixeira Araújo, Deise Achilles, Flávio Teixeira dos Santos, José Romão Costa, Edmundo Gomes de Eça e Manoel Lopes da Silva (suplente).

Segmento Trabalhador: Alexander de Carlo Freitas Navarro, Luciana Aparecida Carvalho Ferreira, Luiz Antonio Ferreira de Azevedo, Jailma de Oliveira Basílio, Denise Gonçalves Borges, Balilde Gonçalves Meznarics e Isabel Jartin Porteiro (suplente).

Segmento Gestor: Fabio Bellucci Leite, Sandra Lázaro de Melo, Maria Joselia M. Ferreira, Priscila de Almeida Oliveira Parra, Érica Gimenes Ruiz Barbosa Porto Rinaldi, Roberto de Alcântara Madeira e Maria Selma de Freitas Barbosa (suplente).

São Miguel –  163 participantes, sendo 31 do segmento Gestor, 42 do segmento Trabalhador, 76 usuários e 14 convidados. Elegeu também 21 delegados(as).

Segmento Usuário: Elias Fernando Ribeiro, Almir José dos Santos, Gessy Dias da Silva, Gabriela Souza Del Varge, Henry Borges, Fernando Cresta Rosa, Juscelino Pereira de Carvalho, João Cordeiro, Maria Lúcia Lima, Divani Lopes E. dos Santos, Rosária Rabelo da Silva.

Segmento Trabalhador: Maria Rosângela S. de Queiroz Tavares, Daniel Viana da Silva, Maria Aparecida de Deus, Benedicto Augusto de Oliveira, Ulisses Conrado Ciríaco Rodrigues.

Segmento Gestor: Patrícia Braga, Eliete Magda Favaro Luz, José Luiz de Lima, Fernanda Ana Ferreira, Paulette Secco Azular.


 Subprefeito Miguel Reis - foto : Maria Amelia Portugal


 Maria Amelia e Humberto Cesar da Silva





















Marta Pozzani Calixto DE JESUS, a Supervisora de Saúde da Cidade Tiradentes





Latrocínios, roubos e furtos caem em SP e cresce na Cidade Tiradentes

A policia desconhece Cidade Tiradentes

Se não dão queixa, não entram no índice.



Assalto seguido de morte registrou menor índice desde 2012, segundo estatísticas da Secretaria de Estado da Segurança Pública.
Por Rafael Italiani
Os indicadores dos casos de roubo seguido de morte no primeiro semestre de 2015 atingiram as menores marcas desde 2012, tanto no Estado quanto na capital, segundo números divulgados nesta segunda-feira, 27, pela Secretaria da Segurança Pública. A maioria dos outros crimes teve queda no período em comparação com 2014, mas os roubos de carga e a banco registraram alta.
Entre janeiro e junho, foram 177 latrocínios no Estado, ante os 201 registrados no primeiro semestre do ano passado. A redução foi de 12%. Junho teve 29 casos no território paulista, dois a mais do que no mesmo mês de 2014. O total de latrocínios também é menor do que o número de casos registrados em 2012 (178 casos) e em 2013 (203), segundo a pasta.
Já a capital teve 58 desses crimes no acumulado de 2015, o que representa uma queda de 23,7% na comparação com o ano passado, quando assaltantes mataram 76 pessoas. No mês passado, a cidade de São Paulo registrou sete ocorrências, ante as 12 de junho de 2014 - queda de 41,6%.
Furtos e roubos
Outros crimes contra o patrimônio, como os furtos e os roubos, também apresentaram queda no semestre. Na capital, foram 152.406 assaltos, 6,7% a menos do que em 2014. No Estado, a redução foi de 5,2% nos seis meses. 
Questionado se a queda nos roubos foi motivada pela dificuldade de as vítimas registrarem boletins de ocorrência de roubos de celulares, uma vez que, como mostrou o Estado na semana passada, é preciso informar o código IMEI dos aparelhos, o secretario da Segurança, Alexandre de Moraes, negou. “O registro na delegacia não precisa de IMEI. Se o distrito não estiver fazendo isso, está errado.”
Dois tipos de roubos, praticados por quadrilhas organizadas, tiveram aumento no primeiro semestre de 2015: o de cargas e o a bancos. Contra as instituições bancárias, o crescimento foi de 2% no Estado e de 23% na capital, minimizado por Moraes. “É uma variação baixa.” Para ele, o indicador “está dentro da margem de erro”. 
Nos roubos a carga, apesar de redução nas comparações entre junho de 2015 e o mesmo mês do ano passado, houve aumento no acumulado do semestre. No Estado, foi de 2,84%, e a cidade registrou uma elevação de 7,61%. Desde o início do ano, a pasta se esforça para reduzir esse tipo de crime. Para tanto, Moraes pediu estudos para diagnosticar os casos.
Homicídios
Os homicídios voltaram a registrar o menor índice de mortos na capital e no Estado. Critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS) estabelecem que a taxa deve estar abaixo de dez crimes para cada 100 mil habitantes, o que define quando uma doença é endêmica em uma população.
Em junho, a taxa de assassinatos caiu para 9,38 casos por cem mil habitantes no Estado e para 9,51 na capital - em 1999, o índice da cidade era de 52,88.
De acordo com a pasta, é a primeira vez desde 2001 que um semestre contabiliza um número abaixo de 2 mil homicídios no Estado. Foram 1.931 casos neste período em 2015, ante 2.185 em 2014, o que representa queda de 11,6%.

Para o advogado Arles Gonçalves Junior, presidente da Comissão de Segurança Pública da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a diminuição de crimes contra a vida “é uma tendência” no Estado e na capital. “A população tem ajudado a polícia. As imagens de câmeras de segurança em comércios e residências colaboram na identificação dos bandidos.”
Segundo ele, nos últimos anos têm ocorrido uma “melhor interação entre as Polícias Civil e Militar”. Além disso, a apuração de latrocínios também tem a ajuda da expansão da tecnologia e de sistemas de monitoramento eletrônico.
Matéria originalmente publicada no jornal O Estado de S. Paulo





Unidades móveis da Rede Hora Certa já realizaram meio milhão de exames de apoio diagnóstico

Fila de espera na rede por exames de colonoscopia teve redução de 97%. No caso da endoscopia, queda foi de 72% até junho deste ano




Em funcionamento desde 2013, as unidades móveis da Rede Hora Certa já realizaram mais de 500 mil exames de diagnóstico. O anúncio foi realizado pela Secretaria Municipal da Saúde na manhã desta quinta-feira (10), durante visita do prefeito Fernando Haddad à Rede Hora Certa Móvel Vila Carrão, unidade na zona leste da capital em funcionamento desde julho deste ano.

"Até o final do ano que vem nós teremos 20 Hospitais Dia Rede Hora Certa fixos. Neste ano nós vamos terminar com 15 [unidades]. Devemos ainda ter outras 10 unidades móveis para cobrir todo o território da cidade. Com isso a gente está reduzindo a fila de exames. Alguns exames a gente quase já zerou fila", afirmou o Haddad. 
Em junho de 2015, somente o projeto das unidades móveis atingiu a produção de 500 mil exames. Se considerarmos, no entanto, todos os processos SUS destas unidades, já foram realizados mais de 1,6 milhões de procedimentos entre consultas médicas, de enfermagem e os exames de apoio diagnóstico.

"Nós já reduzimos em 97% a fila da colonoscopia, que é um exame muito difícil de fazer. [A redução da fila da] endoscopia foi de 72%. Isso graças a essa estrutura que o prefeito Haddad criou, de arena móvel com médicos fazendo exame", completou o secretário municipal da Saúde, Alexandre Padilha. 
As filas de espera desses procedimentos tiveram queda bastante expressiva na cidade. Dos 4.785 pacientes em fila de espera para a realização de colonoscopia, por exemplo, restam apenas 131. Na endoscopia eram 29.934 pacientes em fila de espera e, atualmente, são 8.318.

Desde o começo do projeto, os Hospitais Dia Móvel - como também são chamadas as unidades móveis - já estiveram em 13 subprefeituras. Atualmente cinco delas estão em funcionamento em bairros diversos da cidade, sendo uma em Santo Amaro, na zona sul; outra no Tucuruvi, na zona norte; uma na Lapa, zona oeste; e outras duas na zona leste, sendo uma em Itaquera e outra na Vila Carrão - esta última permanecerá no bairro até a entrega de um Hospital Dia Rede Hora Certa na mesma região.

De acordo com o prefeito, o projeto executivo da unidade, cujo prédio foi desapropriado pela Prefeitura, deve ser concluído em novembro deste ano. As obras deverão ser concluídas entre seis e oito meses a partir do seu início.   

As unidades móveis da Rede Hora Certa são responsáveis pela oferta de exames de apoio diagnóstico tais como ultrassonografia, endoscopia, colonoscopia, nasofibroscopia, eletroneurografia e ecocardiograma, cujos laudos são emitidos imediatamente após a realização dos exames. Durante a atual gestão, outros oito Hospitais Dia da Rede Hora Certa já foram entregues nos seguintes bairros: Ipiranga, Freguesia do Ó/Brasilândia, Penha, Lapa, São Miguel Paulista, Itaim Paulista e M’Boi Mirim I e II.

Criada pela Prefeitura em 2013, a Rede Hora Certa disponibiliza serviços de saúde especializados destinados à redução do tempo de espera e à qualificação do atendimento. Os hospitais reúnem, em um único local, médicos e exames especializados e centros cirúrgicos ambulatorial para a realização de pequenas cirurgias eletivas. A ideia é de que a rede funcione junto ao modelo hospitalar convencional, contribuindo no desafogamento dos hospitais gerais.
Durante a visita, o Haddad destacou que a administração focará a partir de agora na redução das filas de cirurgias eletivas. "A nossa meta é agora entrar 2016 com todos os centros cirúrgicos que nós entregamos operacionais, com anestesista, com agendamento de cirurgias eletivas que estão há muito tempo aguardando atendimento. Nós vamos mobilizar toda essa rede agora para enfrentar um novo desafio, que é a última etapa da implementação da Rede Hora Certa na cidade. Tivemos uma melhora muito grande no que diz respeito às consultas e os exames foi [a etapa] que mais avançou. Agora é a vez da cirurgia. Vai ser uma mudança importante no SUS da cidade", disse.

Imagens Crédito: Fábio Arantes / SECOM

Relação das Unidades da Secretaria Municipal da Saúde por SubPrefeitura
PMSP/SMS/CEInfo
Subprefeitura:
Cidade Tiradentes
AMA CASTRO ALVES
R. CADERNO DE VIAGEM, 55 - COHAB CASTRO ALVES
08474-170
2558-7399
/
2282-0320
CEP: - Fone:
AMA FAZENDA DO CARMO
R. FRANCISCO CARDOSO JR., 10 - CIDADE TIRADENTES
08421-105
2556-7600
/
2518-2152
CEP: - Fone:
CAPS ADULTO II CIDADE TIRADENTES
R. JUA MIRIM, 366 - CIDADE TIRADENTES
08490-800
2056-6262
CEP: - Fone:
CENTRO DE ATENÇÃO À SAÚDE SEXUAL E REPRODUTIVA MARIA AUXILIADORA LARA B
AV. DR GUILHERME DE ABREU SODRÉ, 485 - CIDADE TIRADENTES
08490-110
2555-7090
/
2555-4806
CEP: - Fone:
CEO/ NIR CIDADE TIRADENTES
R. FERNANDO GANGA, 14 - CIDADE TIRADENTES
08471-000
2516-1729
/
2516-6669
CEP: - Fone:
CTA DST/AIDS CIDADE TIRADENTES
R. LUIS BORDESE, 96 - CIDADE TIRADENTES
08471-780
2282-7055
/
2964-0784
CEP: - Fone:
HM CARMEN PRUDENTE - CIDADE TIRADENTES
AV. DOS METALURGICOS, 2100 - CENTRO
08471-000
2559-6200
CEP: - Fone:
NIR/ CEO CIDADE TIRADENTES
R. FERNANDO GANGA, 14 - CIDADE TIRADENTES
08471-000
2516-1729
/
2516-6669
CEP: - Fone:
PA GLÓRIA RODRIGUES DOS SANTOS BONFIM
AV. DOS METALURGICOS, 2820 - CIDADE TIRADENTES
08471-000
2282-7718
CEP: - Fone:
UBS BARRO BRANCO
R. EDUARDO REUTER, 678 - COHAB BARRO BRANCO II
08473-533
2964-8826
/
2964-0611

PMSP/SMS/CEInfo
UBS CARLOS GENTILE DE MELO
AV. DOS TÊXTEIS, 3765 - CIDADE TIRADENTES
08490-600
2282-2522
/
2964-0764
CEP: - Fone:
UBS CASTRO ALVES
R. CADERNO DE VIAGEM, 55 - COHAB CASTRO ALVES
08474-170
2282-0320
/
2558-7399
CEP: - Fone:
UBS CIDADE TIRADENTES I
AV. DOS TÊXTEIS, 512 - CIDADE TIRADENTES
08490-600
2282-5151
/
2282-0250
CEP: - Fone:
UBS DOM ANGELICO
ESTRADA MANOEL OLIVEIRA RAMOS, 1 - CIDADE TIRADENTES
08473-000
2555-3894
/
2555-0192
CEP: - Fone:
UBS FAZENDA DO CARMO
R. FRANCISCO CARDOSO JR., 10 - CIDADE TIRADENTES
08421-105
2556-7600
CEP: - Fone:
UBS FERROVIÁRIOS
R. GONÇALVES NINA, 58 - CIDADE TIRADENTES
08470-610
2285-6477
/
2558-6888
CEP: - Fone:
UBS GRÁFICOS
R. FRANCISCO JOSE VIANA, 708 - CIDADE TIRADENTES
08471-530
2285-5685
/
2285-7097
CEP: - Fone:
UBS INACIO MONTEIRO
R. INÁCIO MONTEIRO, 3002 - CIDADE TIRADENTES
08490-000
2556-3223
CEP: - Fone:
UBS JARDIM VITÓRIA
R. LAGEDO, 123 - CIDADE TIRADENTES
08490-000
2964-2685
/
2282-6050
CEP: - Fone:
UBS PREFEITO PRESTES MAIA
R. INACIO PINTO LIMA, 35 - CIDADE TIRADENTES
08490-020
2555-2676
/
2555-0484
CEP: - Fone:
UBS PROFETA JEREMIAS
R. LUIS BORDESE, 63 - CIDADE TIRADENTES
08471-710
2558-3866
/
2282-406

Miguel Reis Afonso é o subprefeito de Cidade Tiradentes


Quem é quem



Miguel Reis Afonso


Subprefeito






Miguel Reis Afonso, 57 anos, é advogado formado pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo em 1982. É especialista em gerenciamento administrativo pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP) e mestre em Planejamento Urbano e Regional pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Universidade de São Paulo (USP).


Foi diretor do Departamento Jurídico do Município de Diadema entre 1986 e 1988, diretor presidente da COHAB/SP entre 1989 e 1990 e diretor do Departamento Administrativo e de Negócios Jurídicos do Município de Franco da Rocha de 1993 a 1996. Ao longo de 12 anos (2000 a 2012), comandou a pasta de Política Urbana do Município de Suzano.


Também exerceu as funções de chefe de gabinete do Deputado Estadual Henrique Pacheco e de assessor técnico do Deputado Estadual Marcelo Candido. Como advogado, prestou assessoria jurídica para a União dos Movimentos de Moradia de São Paulo (UMM), e atuou junto à União dos Movimentos de Moradia da Grande São Paulo e do Movimento de Defesa do Favelado de Vila Alpina. Além disso, foi coordenador do Centro de Direitos Humanos Padre Ezequiel Ramin.


Mais recentemente, de fevereiro de 2014 a junho de 2015, foi secretário adjunto de Coordenação das Subprefeituras do Município de São Paulo.

EQUIPE  Á disposição. DO SUBPREFEITO


Waldir José Schiavon Junior

Chefe de Gabinete

Pedro Carlos Bianguli de Farias

Coordenadoria de Administração e Finanças

Gina Lo Caspi

Coordenadoria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano

Marta Pozzani Calixto de Jesus

Supervisão de Saúde

Sinésio Aparecido da Silva

Coordenadoria de Projetos e Obras

José Abílio Ferreira

Assessoria de Comunicação

Wilson Ambrósio

Assessoria de Defesa Civil

Otacílio Lourenço de Souza Junior

Assessoria Jurídica

Raimundo Silva Vieira

Supervisão de Esportes e Lazer

José Gomes da Silva

Supervisão de Habitação

Paulo Gilson Nascimento Cardoso

Supervisão de Cultura

Jacira de Lima Machado

Gerência da Praça de Atendimento ao Público

MultiColor Interatividade

Jornal Cidade Tiradentes

Jornal Cidade Tiradentes
Alguém neste país ainda limpa a bunda com jornal?